terça-feira, 12 de novembro de 2013

Asneiras - Victor Hugo

"De ordinário, as grandes asneiras são, como as cordas grossas, formadas por uma multidão de fios. Pegai na corda e desfiai-a, tomai separadamente todos os pequenos motivos determinantes, e direis, quebrando-os um a um: ‘Pois é só isso!’ Entrançai-os, porém, e torcei-os todos, e ficar-vos-á uma enormidade.”
Victor Hugo