terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Seguir o nosso fluxo ou A vida não precisa ter tanto esforço assim



Chegamos nesse adorável planeta nu, com frio e assustados. Recebemos uma infinidade de informações desde então e vamos construindo nossa realidade sem qualquer manual de orientações. No geral, não temos a quem perguntar...
Pois bem, uma das crenças que recebemos desde tenra idade é que temos que fazer muito esforço para conquistar o que precisamos, mas o que precisamos mesmo? Pois é, também não sabemos, no geral copiamos de outrem ou acatamos como verdade uma realidade alheia à nossa...
Não respeitar o nosso potencial, a nossa realidade interna e a nossa verdadeira missão nesse planeta, realmente nos exige um grande esforço.
E como podemos transformar essa realidade? Seguindo o fluxo, que nada mais é que aquela missão que cada um de nós tem para realizar, compatível com nossas habilidades, dons e orientação interna.
Toda a natureza segue o fluxo, a água corre obedecendo a lei da gravidade, as plantas florescem seguindo a luz, a luz se propaga abrindo espaço na escuridão. Por que nós deveríamos ser diferentes?
Seguir o fluxo é estar em harmonia consigo mesmo e com as leis que nos criaram.
José Anastácio de Sousa Aguiar
(Psicanalista, hipnoterapeuta e terapeuta de vidas passadas)

Falta gente amando... - Manoel de Barros


sábado, 3 de dezembro de 2016

Você já pensou sobre isso?



Hoje resolvi escrever sobre uma das perguntas mais frequentes dos meus alunos do curso de Psicanálise, bem como dos meus pacientes. Por que me ocorrem essas coisas que me fazem sofrer tanto?
A primeira reação de qualquer um de nós quando nos deparamos com uma dor é tentar livrar-nos dela o mais rápido possível. Entretanto, ao tentar essa abordagem, esquecemo-nos que toda dor quer nos repassar uma lição, quer que a escutemos, pois ela nada mais é do que o reflexo de algo em nós que está em desarmonia.
Livrar-se da dor sem ouvir a sua lição ou entendê-la, somente postergará o sofrimento ou o deslocaremos para outra seara da nossa vida.
Temos que escutá-la, entendê-la, vivenciá-la ou até mesmo tornar-nos seu(ua) amigo(a). Somente incorporando a sua mensagem e reequilibrando a nossa energia, ela nos entregará a sua mensagem e sua missão estará cumprida, e como consequência, ela irá embora.
Lembro-me de Jung: "O que nega, te submete; o que aceita, te transforma." 
Você já pensou sobre isso?
José Anastácio de Sousa Aguiar
(Psicanalista, hipnoterapeuta e terapeuta de vidas passadas)

Unidade