segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Resumo do Livro III de Sigmund Freud - Primeiras Publicações Psicanalíticas (1893-1899)



Charcot
_ De outubro de 1885 a fevereiro de 1886, Freud trabalhou na Salpetriere (instituição hospitalar encarregada de mulheres), em Paris, sob a direção de Charcot;
_ Charcot restaura a dignidade da histeria, trata a histeria como sendo apenas mais um tópico da neuropatologia;
_ a histeria nos homens, especialmente nos da classe trabalhadora, era muito mais freqüente do que se esperava.

Sobre o Mecanismo Psíquico dos Fenômenos Histéricos: uma conferência
_ todos os modernos avanços na compreensão e no conhecimento da histeria derivam do trabalho de Charcot;
_ Charcot explica o processo da histeria reproduzindo-o, induzindo artificialmente o paciente à paralisia;
_ Caso Ana O. (1880 a 1882) – primeiro caso de histeria a tornar-se inteligível;
_ um dos sintomas mais comuns na histeria é a combinação de anorexia e vômito. Insônia ou sono perturbado também.
_ quando uma pessoa experimenta uma impressão psíquica, alguma coisa em seu sistema nervoso, que chamaremos provisoriamente de soma de excitação, aumenta. Ora, em todo indivíduo existe uma tendência a tornar a diminuir essa soma de excitação, a fim de preservar a saúde (princípio da constância). O aumento da soma de excitação ocorre por vias sensoriais, e sua diminuição, por vias motoras. Quanto mais intenso o trauma, maior a reação suficiente. O primeiro homem a desfechar contra o seu inimigo um insulto, em vez de uma lança, foi o fundador da civilização. Quando, por qualquer motivo, não pode haver reação a um trauma psíquico, ele retém seu afeto original, e quando a pessoa não consegue livrar-se do acréscimo do estímulo, por meio de sua ab-reação, deparamos com a possibilidade de que o evento em questão permaneça como um trauma psíquico.
_ descobrimos que não há nos pacientes histéricos nada além de impressões que não perderam seu afeto e cuja lembrança permaneceu vívida. Essas lembranças dos pacientes histéricos tornam-se patogênicas. Pacientes histéricos sofrem de traumas psíquicos incompletamente ab-reagidos.
_ todo histeria lida com um rudimento do que é chamada consciência dupla.
_ como funciona a terapia? Desejo de poder refazer alguma coisa. Leva-se o paciente a experimentar de novo o sentimento, desta vez sob a hipnose, e o forçamos a completar a sua ab-reação. Assim, ele pode livrar-se do afeto ligado á sua representação, fazendo com que a reação incompleta se conclua.

As Neuropsicose de Defesa
_ pacientes que analisei gozaram de boa saúde mental até o momento em que houve uma ocorrência de incompatibilidade em sua vida representativa – isto é, até que seu eu se confrontou como uma experiência, uma representação ou um sentimento que suscitaram um afeto tão aflitivo que o sujeito decidiu esquecê-lo;
_ o fatos característico da histeria não é a divisão da consciência, mas a capacidade de conversão;
_ em um bom número de casos, o próprio paciente informa que sua fobia ou obsessão apareceu pela primeira vez depois de um esforço de vontade aparentemente atingiu o seu objetivo com êxito;
_ entre o esforço voluntário do paciente que consegue recalcar a representação sexual inaceitável e o surgimento da representação obsessiva subsiste um hiato;
_ a angústia liberada cuja origem sexual não deva ser lembrada pelo paciente irá apoderar-se das fobias primárias comuns da espécie humana, relacionadas com animais, tempestades, escuridão, etc;
_ não posso afirmar que todas as fobias e obsessões emergem do modo que aqui caracterizei (pág. 63);

Apêndice – O Surgimento das Hipóteses Fundamentais de Freud
_ teoria do recalcamento ou defesa – é a pedra angular sob a qual repousa toda a estrutura da psicanálise;
_ o projeto para um psicologia científica foi abandonado;
_ princípio da constância – o aparelho mental se esforça por manter a quantidade de excitação nele presente tão baixa quanto possível, ou pelo menos, mantê-la constante;
_ princípio do prazer/desprazer.

Obsessões e Fobias – Seu Mecanismo Psíquico e sua Etiologia
_ as obsessões e as fobias são neuroses distintas;
_ dois correspondentes são encontrados em toda obsessão: 1) uma representação que se impõe ao paciente, 2) um estado emocional associado;
_ sempre conseguimos descobrir na história prévia do paciente, no início da obsessão, a representação original que foi substituída. Todas as representações substituídas têm atributos comuns; elas correspondem a experiências realmente penosas na vida sexual do sujeito, que ele se esforça por esquecer. Consegue meramente substituir uma representação incompatível por uma outra, mal adaptada para se associar com o estado emocional, o qual, por sua vez, permanece inalterado;
_ a substituição é um ato de defesa do ego contra a representação incompatível;
_ diferença entre obsessões e fobias; nestas últimas, a emoção é sempre de angústia, de medo. As obsessões são variadas e mais especializadas, enquanto as fobias são mais monótonas e típicas;
_ as fobias fazem parte da neurose de angústia. A neurose de angústia tem uma origem sexual, sua causa específica é a acumulação de tensão sexual produzida pela abstinência ou pela excitação sexual não consumada.

Neurastenia e Neurose de Angústia
_ é difícil fazer qualquer afirmação de validade geral sobre a neurastenia;
_ chamo essa síndrome de neurose de angústia porque todos os seus componentes podem ser agrupados em torno do sintoma principal da angústia;
_ quadro clínico da neurose de angústia abrange os seguintes sintomas: irritabilidade geral, expectativa angustiada (sintoma nuclear da neurose), ansiedade, acordar em pânico à noite, vertigem, distúrbios na atividade digestiva.

Resposta ás Críticas a meu artigo sobre a neurose de angústia
_ na etiologia das neuroses, os fatores sexuais desempenham um papel predominante;
_ a neurose de angústia é criada por tudo aquilo que mantém a tensão sexual somática afastada da esfera psíquica;
_ a abstinência sexual, a satisfação sexual incompleta, o coito interrompido, o desvio do interesse psíquico da esfera da sexualidade são fatores etiológicos específicos dos estados de neurose de angústia;
_ os sintomas de angústia têm também ligações rigorosamente inequívocas com a histeria;
_ não basta a perturbação específica estar presente, ela também precisa atingir um patamar definido;
_ a ocorrência ou não da doença neurótica depende da carga total sobre o sistema nervoso, proporcionalmente a sua capacidade de suportar tal carga;
_ quadro da situação etiológica que prevalece na etiologia da neurose: precondição, causa específica, causas concorrentes, causa precipitante;
_ a hereditariedade por si só não é capaz de produzir uma neurose de angústia;
_ se ocorrerá ou não uma doença neurótica, depende de um fator quantitativo – da carga total sobre o sistema nervoso, comparada à capacidade de resistência deste. Tudo o que consegue manter este valor quantitativo abaixo de certo valor limítrofe ou restituí-lo a esse nível tem um efeito terapêutico, já que, assim fazendo, mantém a equação etiológica insatisfeita.

Hereditariedade e a Etiologia das Neuroses
_ a teoria da etiologia das neuroses de Charcot dizia que a hereditariedade era a única causa da neurose;
_ a existência de distúrbios neuróticos adquiridos é tão viável quanto a de distúrbios hereditários;
_ não é a hereditariedade que rege a escolha do distúrbio nervoso;
_ influências etiológicas, classes: precondição, causas concorrentes e causas específicas;
_ a hereditariedade preenche o papel da precondição;
_ causas concorrentes: perturbação emocional, esgotamento físico, doenças graves, intoxicações, acidentes traumáticos, sobrecarga intelectual, etc;
_ causa específica: distúrbios na sexualidade;
_ solução dos problemas da neuroses: o novo método da psicanálise, no qual os sintomas histéricos são investigados até a sua origem, no passado do paciente;
_ experiência sexual passiva antes da puberdade (antes de 8 a 10 anos): eis, portanto, a etiologia específica da histeria;
_ é precisamente por estar o sujeito na sua primeira infância que a excitação sexual precoce surte pouco ou nenhum efeito na época, mas seu traço psíquico é preservado inconsciente, vindo a ser despertado por algo que lembre o evento anterior. A lembrança atua como se fosse um evento contemporâneo;
_ lembrança de uma experiência sexual precoce é causa específica da histeria;
_ os eventos subseqüentes à puberdade são apenas causas concorrentes;
_ para Charcot, a hereditariedade nervosa ocupava o lugar que Freud reivindica para a experiência sexual precoce;
_ na base da etiologia da histeria encontramos um evento de sexualidade passiva, uma experiência a qual alguém se submeteu co indiferença ou pequeno grau de aborrecimento ou medo. No caso da neurose obsessiva, há a experiência sexual ativa.

Observações adicionais sobre as neuropsicoses de defesa
_ neuropsicoses de defesa (histeria, obsessões e alucinação) revelam um aspecto comum – seus sintomas emergiam como uma tentativa de recalcar uma representação incompatível que se opunha aflitivamente ao ego do paciente;
_ para causar a histeria, o trauma tem que ter ocorrido na infância e seu conteúdo deve consistir numa irritação real dos órgãos genitais;
_ determinante específico da histeria – passividade sexual durante o período pré-sexual;
_ há possibilidade de pessoas serem submetidas a um mesmo trauma e só algumas desenvolverem a histeria, assim a histeria não pode ser inteiramente explicada a partir do efeito do trauma;
_ as neuroses de defesa são conseqüências indiretas das perturbações sexuais ocorridas antes do advento da maturidade sexual;
_ na natureza das neuroses obsessivas, as idéias obsessivas são auto-acusações transformadas que reemergiram do recalcamento e sempre se relacionam com algum ato sexual praticado com prazer na infância;
_ o método da psicanálise consegue tronar consciente a lembrança recalcada da tenra infância, resolvendo a obsessão;
_ a histeria efetua o recalque pelo método da conversão e a neurose obsessiva pelo método da substituição;

A Etiologia da histeria
_ Josef Breuer: os sintomas das histerias são determinados por certas experiências do paciente que atuaram de modo traumático e que são reproduzidas em sua vida psíquica sob a forma de símbolos mnêmicos;
_ a cena traumática de que se origina o sintoma deve possuir duas qualidades: adequação como determinante e força traumática;
_ os sintomas histéricos podem ser resolvidos quando, partindo deles, conseguimos encontrar o caminho de volta à lembrança de uma experiência traumática;
_ a descoberta mais importante é que qualquer que seja o caso e qualquer que seja o sintoma que tomemos como ponto de partida, no fim chegamos infalivelmente ao campo da experiência sexual;
_ tanto os acontecimentos graves como banais e não apenas as experiências que afetam o corpo do sujeito, mas também as impressões visuais e as informações recebidas pela audição devem ser reconhecidas como traumas últimos da histeria;
_ na base de todos os casos de histeria, há uma ou mais ocorrências de experiência sexual prematura;
_ na etiologia das neuroses, as precondições quantitativas são tão importantes quanto às qualitativas;
_ a eclosão da histeria pode ser quase invariavelmente atribuída a um conflito psíquico eu emerge quando uma representação incompatível detona uma defesa por parte do ego e solicita um recalcamento. A defesa cumpre seu propósito de arremessar a representação incompatível para fora da consciência;
_ as obsessões são auto-acusações disfarçadas e transformadas, relativas a atos de agressão sexual na infância.

A Sexualidade na etiologia das neuroses
_ em todo caso de neurose há uma etiologia sexual;
_ a necessidade sexual, uma vez despertada e satisfeita por algum tempo, não pode mais ser silenciada, só pode ser deslocada por outro caminho. Aliás, o mesmo se aplica a todos os tratamentos para romper com um vício;

O Mecanismo Psíquico do esquecimento
_ a experiência ensinou-me a insistir em que todo produto psíquico é elucidável e até mesmo sobredeterminado;
_ os casos de esquecimento têm a característica de liberar um desprazer contínuo até o momento em que o problema é resolvido;
_ a dissolução de toda a tensão pela comunicação do nome correto por uma fonte externa é, em si mesma, um bom exemplo da eficácia da terapia psicanalista, que visa a corrigir os recalques e deslocamentos e que elimina os sintomas pela reinstalação do verdadeiro objeto psíquico;

Lembranças encobridoras
_ as experiências dos primeiros anos da nossa infância deixam traços inerradicáveis nas profundezas da nossa mente;
_ o histérico habitualmente mostra uma amnésia em relação a algumas ou todas as experiências que levaram à instalação da sua doença;
_ íntima ligação existe entre o conteúdo psíquico das neuroses e nossa vida infantil;
_ o tratamento psicanalítico encarrega-se de descobrir as partes que faltam numa experiência infantil;
_ em geral não há garantias quanto aos dados produzidos por nossa memória;
_ a lembrança encobridora pode ser descrita como regressiva ou progressiva;
_ em geral, tendemos a isolar as lembranças encobridoras.